Exercícios para aprofundar o vínculo entre mãe e filho



Ninguém duvida do forte laço que se desenvolve entre mãe e filho durante a  gestação. O que não sabíamos é que  este vínculo pode ser mais forte do que suspeitávamos antes...

Quando a mãe se exercita, durante a gravidez, o bebê não é, como a maioria de nós imaginava, um passageiro passivo. O nascituro é parte ativa do treino, beneficiando-se dele também. O resultado? Um sistema cardíaco fetal cada vez mais forte e saudável.

E os benefícios da prática da atividade física durante a gestação se estendem após o nascimento.  Bebês nascidos de mães que se exercitaram durante a gravidez tendem a apresentar um coração mais saudável do que outras crianças, depois do parto. 

A mãe e o feto têm sistemas cardíacos e circulatórios completamente separados, mas certos hormônios liberados durante o exercício se cruzam, pela placenta, e podem promover estimulantes alterações no desenvolvimento do coração do feto.

Os novos dados foram apresentados, recentemente, por  pesquisadores da Kansas City University of Medicine and Biosciences, frutos de um estudo com um grupo de 61 mulheres saudáveis, com idades entre 20 a 35 anos, que integravam um estudo-piloto sobre gravidez, exercício e saúde do coração fetal. 

Cerca de metade das mulheres deste grupo tinha se exercitado regularmente, durante a gravidez, fazendo jogging, andando ou realizando outra atividade em ritmo moderado, por pelo menos, três vezes por semana. Algumas também tinham levantado pesos leves ou praticado yoga, mas a principal atividade física foi aeróbica. A outra metade das mães era normalmente ativa, mas não praticou exercícios sistematizados durante a gestação.

Para reunir os dados necessários à pesquisa, as gestantes estiveram no laboratório da universidade em três ocasiões: nas semanas 28, 32 e 36 da gestação para realizarem um exame não-invasivo da saúde cardíaca de seus bebês.

Após o nascimento dos bebês, elas voltaram ao laboratório da universidade  e  os recém-nascidos também passaram por exames cardíacos. 

Resultado: o efeito benéfico dos exercícios foi particularmente mais robusto nas crianças cujas mães se exercitaram mais durante a gestação. Estes bebês, sem dúvida, apresentavam corações mais fortes.

Os pesquisadores americanos prometem estender as pesquisas e acompanhar o desenvolvimento cardíaco destas crianças durante a primeira infância.

Por ora, é importante saber que, além das certezas que já tínhamos sobre os benefícios dos exercícios físicos, durante a gestação, a disposição da grávida para fazer um jogging, andar ou fazer outro esporte é realmente recompensada. Com orientação médica apropriada é possível oferecer uma vantagem à saúde cardíaca dos filhos.

Nome Completo

E-mail

Palavra-Chave

As informações contidas em nossa homepage têm caráter informativo e educacional. O seu conteúdo jamais deverá ser utilizado para autodiagnóstico, autotratamento e automedicação. Em caso de dúvida, o profissional médico deverá ser consultado, pois, somente ele está habilitado para praticar o ato médico, conforme recomendação do Conselho Federal de Medicina.



Dr. Renato Kalil

Diretor Clínico

CRM-SP 62703