Companhia na hora do parto



A mulher precisa se sentir segura e confiante para dar à luz. A mais eficiente tecnologia para o sucesso de um parto é bem antiga: é o suporte emocional e o apoio que a mulher recebe de um acompanhante de confiança durante o parto. Essa companhia pode ser do marido, da mãe, de sua irmã, de seu pai, de um filho ou de alguém próximo.

Não é fácil para uma mulher grávida, prestes a ter uma criança, chegar ao hospital sozinha. É nessa hora que o apoio de um acompanhante pode contribuir para o sucesso desse momento. Estudos apontam que a presença de alguém de confiança da mãe na sala de parto tende a reduzir as chances de cesariana, as indicações de analgesia e o tempo do trabalho de parto, além de aumentar a satisfação da mulher.

Legalmente - Lei N ° 11.108, de 7 de abril de 2005 - é direito da mulher dar a palavra final sobre quem deve ficar ao seu lado nesse momento. Afinal, a pessoa que a acompanhará no parto precisa oferecer suporte emocional e fazer com que ela se sinta segura. Na maioria dos casos, quem cumpre esse papel é o marido. Mas não há uma regra. 

É a mulher que, tendo liberdade de escolha, pode optar pela companhia da mãe, avó ou de uma prima. Se o marido for o acompanhante há benefícios adicionais. Já sabemos que é nos primeiros momentos de vida fora do útero que se estabelece o vínculo mãe-filho. Quando o pai está presente, ele participa desse processo e, a partir daí, a dinâmica familiar ganha outra dimensão.

Nome Completo

E-mail

Palavra-Chave

As informações contidas em nossa homepage têm caráter informativo e educacional. O seu conteúdo jamais deverá ser utilizado para autodiagnóstico, autotratamento e automedicação. Em caso de dúvida, o profissional médico deverá ser consultado, pois, somente ele está habilitado para praticar o ato médico, conforme recomendação do Conselho Federal de Medicina.



Dr. Renato Kalil

Diretor Clínico

CRM-SP 62703