Ser magra demais afeta mais a fertilidade do que a obesidade



Ser magra demais pode afetar mais seriamente suas chances de engravidar do que ser obesa. Um estudo recente revelou que mulheres muito magras têm menos probabilidades de engravidar do que aquelas que estão acima do peso, incluindo, aqui, aquelas classificadas como obesas mórbidas.

O autor do estudo, Richard  Sherbahn , do Centro Avançado de Fertilidade de Chicago, destaca que há mais informações disponíveis ao público sobre os riscos do excesso de peso  à saúde  do que notícias sobre os perigos de estar abaixo do peso.

E que esta discrepância está sendo agravada pela cultura do "tamanho zero", seguida por meninas e mulheres jovens que se esforçam para imitar a aparência exageradamente magra de modelos e  celebridades.

Para chegar a tais conclusões, Sherbahn analisou dados relativos a 2.500 casos de fertilização in vitro, conduzidos em sua clínica, por um período de oito anos.

As mulheres foram divididas em três grupos, segundo seu peso: muito magras, peso normal e obesas. O grupo de peso normal americano incluía algumas mulheres que seriam classificadas com sobrepeso na Europa.

Cerca de 50% das integrantes do grupo de peso normal engravidaram, após o tratamento, em comparação a 45% daquelas incluídas no grupo das obesas (que incluía mulheres classificadas como obesas mórbidas) e  apenas 34% das mulheres classificadas como muito magras. As mulheres classificadas como muito magras tinham um IMC, ou índice de massa corporal de 14 a 18. 

As mulheres em todos os três grupos produziram um número semelhante de óvulos, durante o tratamento, por isso os problemas para levar a gravidez a termo para as mais magras surgiram mais tarde, numa fase posterior ao processo de fertilização in viro. Uma possibilidade é que os embriões apresentaram mais dificuldades de implantação no útero das mulheres muito magras porque estas estavam desnutridas.

Segundo o pesquisador, a magreza excessiva diminui a produção de estrogênio no organismo, tornando mais difícil a concepção. Ser muito magra dificulta a gravidez naturalmente ou por meio de tratamentos de reprodução humana assistida. Sherbahn defende que as mulheres que desejam engravidar - naturalmente ou com tratamentos de fertilidade - devem tentar chegar o mais perto possível de seu peso ideal.

Nome Completo

E-mail

Palavra-Chave

As informações contidas em nossa homepage têm caráter informativo e educacional. O seu conteúdo jamais deverá ser utilizado para autodiagnóstico, autotratamento e automedicação. Em caso de dúvida, o profissional médico deverá ser consultado, pois, somente ele está habilitado para praticar o ato médico, conforme recomendação do Conselho Federal de Medicina.



Dr. Renato Kalil

Diretor Clínico

CRM-SP 62703