Reposição hormonal



REPOSIÇÃO HORMONAL 

"Fiz uma terapia de reposição hormonal com o medicamento Primogyna, dose de 1 mg, durante três meses. Dei um tempo e senti necessidade de retomar o tratamento. A conselho da médica, tomei uma cartela toda (um mês) e depois alternei os dias tomando três vezes por semana por um mês. Em seguida, passei a tomar o medicamento duas vezes por semana durante mais um mês. Senti necessidade de aumentar a dose e tomei 1 mg diariamente por três semanas. Então diminuí novamente a dose. Para não acumular muito estrógeno, não estou tomando o remédio regularmente. Assim, não menstruei mais. A pergunta é: posso ir tomando de acordo com as minhas necessidades (fadiga intensa, calores, insônia) ou devo ser mais matemática no tratamento? Faz mal tomar conforme a necessidade?" 
D.F.B. 

O ginecologista e obstetra Renato Kalil, membro da American Academy of Family Physicians, explica que a leitora não pode tomar a medicação de acordo com o que considera serem suas necessidades sem orientação médica. "A reposição hormonal é um tratamento e só funciona se for feito de maneira contínua", diz. Ele explica que ficar aumentando e diminuindo as doses leva ao risco de efeitos colaterais graves e pode até mesmo causar o surgimento de doenças como trombose e câncer. "Além disso, nas mulheres que têm útero, o uso de estrógeno deve ser combinado a uma proteção feita com progesterona", completa. 

FONTE: FOLHA DE SÃO PAULO


Nome Completo

E-mail

Palavra-Chave

As informações contidas em nossa homepage têm caráter informativo e educacional. O seu conteúdo jamais deverá ser utilizado para autodiagnóstico, autotratamento e automedicação. Em caso de dúvida, o profissional médico deverá ser consultado, pois, somente ele está habilitado para praticar o ato médico, conforme recomendação do Conselho Federal de Medicina.



Dr. Renato Kalil

Diretor Clínico

CRM-SP 62703