Mais Você fala sobre o aumento de cesarianas no Brasil



Você sabia que o Brasil é o campeão mundial de cesarianas? O Mais Você desta segunda-feira, 07 de novembro, falou sobre uma escolha que divide todas as mulheres que decidem ter filhos: parto normal ou cesária? No Brasil, dados do Ministério da Saúde mostram que 43% dos partos são cesárias. Na rede pública, o percentual cai para 34%. Nos hospitais particulares, o índice é de 80%. "Parece que está havendo uma inversão de valores. A cesariana passou a ser considerada por muitas mulheres como o método 'normal' de ter um filho, mas na verdade o parto normal é o mais seguro tanto para a mãe quanto para o bebê", explicou Ana Maria Braga.
Na contramão desta estatística, a apresentadora conversou com Patrícia Alvaide, de 33 anos, moradora de São Paulo, que não conseguia engravidar, fez tratamento e teve a primeira filha, Isabela, de parto normal. Três anos depois, engravidou novamente e também teve parto normal. "Eu escolhi ter parto normal por causa da recuperação, foi muito rápida, duas horas depois eu já estava de pé", contou.

Antes do parto do segundo filho, que foi registrado pelas câmeras do Mais Você, toda a família vivenciou diferentes sentimentos. "Ansiedade, mas baque realmente é quando você vê a criança", contou Patrícia. O marido, Wagner, revelou que as expectativas eram as melhores possíveis e que a torcida era por um menino. 

O médico da Patrícia é o Dr. Renato Kalil, ginecologista e obstetra do hospital São Luiz.. Ele é um grande defensor do parto normal e explicou as vantagens desse tipo de parto, comparado com a cesárea. "Parto normal é como o nome diz, é normal. A cesariana é uma cirurgia. O parto normal não tem cortes na barriga, não tem cirurgia, é vida normal em casa, apenas higiene local e ficar sem relação sexual e exercícios por 30 dias", explicou.

Quanto à cesariana, o Dr. Renato Kalil apontou que são necessários 30 pontos em cada camada de pele. "Quanto mais cesariana, mais risco numa próxima gestação. Se você teve o primeiro parto cesariana, engravidou em menos de um ano e meio, obrigatoriamente, você terá que fazer um parto cirúrgico. Após isso, você pode ter um parto normal, mas existe um risco de ruptura uterina em 12% dos casos", afirmou. O parto de Rafael durou 40 minutos e ele nasceu pesando 3, 340 kg e com 50,5 cm de altura. Rafael faz um mês no dia 12 de novembro, próximo sábado. 
Para assistir o vídeo com a matéria, acesse:
http://maisvoce.globo.com/MaisVoce/0,,MUL1676561-10344,00.html
FONTE: MAIS VOCÊ- REDE GLOBO


Nome Completo

E-mail

Palavra-Chave

As informações contidas em nossa homepage têm caráter informativo e educacional. O seu conteúdo jamais deverá ser utilizado para autodiagnóstico, autotratamento e automedicação. Em caso de dúvida, o profissional médico deverá ser consultado, pois, somente ele está habilitado para praticar o ato médico, conforme recomendação do Conselho Federal de Medicina.



Dr. Renato Kalil

Diretor Clínico

CRM-SP 62703