Descubra como a reposição hormonal pode prevenir a osteoporose




Com a chegada da maturidade, geralmente entre os 45 e 48 anos, o corpo da mulher se prepara para uma nova etapa. É neste momento que uma série de mudanças relacionadas à diminuição da produção de hormônios, como o estrógeno e a progesterona, indicam a chegada da menopausa, período que marca o fim da vida reprodutiva feminina.
Apesar do nome complicado e das alterações no organismo que passam a interferir no bem-estar dessas mulheres a menopausa não é uma doença e jamais deve ser tratada como tal. É preciso compreendê-la como fenômeno natural e enfrentá-la com tranquilidade.
Isso não significa que a medicina precise aceitar passivamente suas consequências. Nos dias de hoje, esses sintomas - como ondas de calor, queda na libido e alterações de humor - já podem ser aliviados por meio da reposição hormonal. Além disso, todas essas modificações também podem predispor o aparecimento ou agravamento de doenças como a osteoporose.
Segundo a Sociedade de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo (Sogesp), a terapia hormonal é um meio eficaz de minimizar os efeitos desta fase. Afirma-se ainda os estrogênios e progestogênios, quando administrados, atuam na conservação óssea, inclusive nos locais onde as fraturas ocorrem com mais frequência.
Apesar da comprovação científica dos benefícios, muitas mulheres deixam de adotar o tratamento por medo de desenvolver câncer de mama , por exemplo. Tendo como base os estudos atuais, a Sogesp explica que não parece haver riscos, especialmente se a reposição durar menos de cinco anos. É importante ressalvar que, nessas circunstâncias, a avaliação individualizada pelo médico que acompanha o caso é pode decidir pela conveniência de interromper ou dar continuidade ao tratamento.
O momento mais adequado para iniciar a prevenção é tão logo sejam percebidos indícios de deficiência hormonal. Entretanto, essa fase varia de mulher para mulher. Não há uma idade exata para essa manifestação. A melhor maneira para se perceber a hora correta é prestar atenção em irregularidades durante o ciclo menstrual.
Lembrando que para ser efetivo, o tratamento deve ser mantido por um certo período. Caso ele seja interrompido, a consequência será uma acelerada perda de massa óssea, que se assemelha à observada durante a menopausa.
 
Complemento à reposição hormonal
Os benefícios da reposição hormonal podem ser potencializados caso ela seja combinada com exercícios físicos adequados. O ideal é que sejam adotadas atividades que imponham uma sobrecarga mecânica aos ossos.
O programa de exercícios deve considerar a individualidade de cada paciente. Entretanto, alguns cuidados devem ser tomados antes de se dar início a essas atividades. Exercícios de impacto precisam ser evitados, visando à prevenção de lesões osteoarticulares. A natação, por sua vez, não é tão eficaz para combater os efeitos da osteoporose, por fornecer um estímulo insuficiente para as vértebras lombares.


Nome Completo

E-mail

Palavra-Chave

As informações contidas em nossa homepage têm caráter informativo e educacional. O seu conteúdo jamais deverá ser utilizado para autodiagnóstico, autotratamento e automedicação. Em caso de dúvida, o profissional médico deverá ser consultado, pois, somente ele está habilitado para praticar o ato médico, conforme recomendação do Conselho Federal de Medicina.



Dr. Renato Kalil

Diretor Clínico

CRM-SP 62703